Pular para o conteúdo principal

O poder..sempre entre nós


Umas das grandes lições de Max Weber é apontar a constância do poder perpassando todas as instâncias sociais, a sociedade como um todo. 

Hoje se estuda aspectos dos aspectos micro-micro do simbólico, das representações etc e tal.  Mas desde quando as relações acontecem distantes das normas, das relações de poder, como bem lembra Giddens? O poder mesmo quando consentido, aceito e desejado (legitimado - autoridade) permanece enquanto relação assimétrica. Condicionamento, direcionamento, prevalecia de vontade existem. 

Há no poder não só um dimensão cênica e performática  ressaltado por Balandier. Certa vez, em uma entrevista, o saudoso Brizola indagado sobre o poder ele disse: "A possibilidade de fazimento". Bem, essa possibilidade de fazer pode ter desdobramentos benéficos e catastróficos. É sempre a parte mais desejada do exercício poder. 

Porém, o poder tem algo mais que o fazer, algo que o tira da condição de meio para realizar e o coloca com um fim em si mesmo. Isso ocorre quando agentes entram em um estágio de entorpecimento. Chaplin com uma riqueza estética cinematográfica mostra bem esse estado de entorpecimento no filme O Grande Ditador. O poder vira um vício, desejo e prazer entram em fusão e delírio e realidade em confusão. O indivíduo não tem mais nada a fazer a não ser atos de acúmulo, de manutenção e culto ao poder. Puro gozo e sacralização do poder através de imagens e performances. Nesse momento extremismo emocional suas crenças e ideias ficam reduzidas aos delírios em torno do poder. Nesse estado entorpecido o indivíduo passa a pensar que ele sozinho é o poder e reduz a Política ao poder. Reduzir a Política à dimensão exclusiva do poder possui dois desdobramentos: matar a Política ou morrer. 

A teocracia é mais doente, perversa e perigosa manifestação de exercício de poder. A ritualização extremada da ordem, do mando e o apelo a uma superioridade supra-humana sempre resulta em flagelo para a humanidade. Evocar o Divino e converter a crença amorosa em servidão, em cegueira e ações de total inconsequência é uma arma alta destruição. Esse surto conservador/fundamentalista emergente no Brasil, onde valores de República e Democracia são desconsiderados em nome de orientações de cunho inspiracionista e supostas revelações é um ovo de serpente. Essa onda de políticos não se apresentarem como simples cidadãos e homens públicos, mas por postos de sua denominação religiosa é marca de facciosismo e corporativismos que tendem a subjugar o interesse geral e a vontade geral. 

Minha ojeriza por teocracia tem dois fundamentos um político e outro religioso. Político: a laicidade está na raiz da política. Convicções democráticas e republicanas não me permitem ter afeição a teocracias. Religioso: como cristão não quero que o reino de Deus seja contrária a própria vontade Dele que disse: "Meu Reino não é desse mundo". "Dai a César (poder temporal) o que é de César (o que pertence ao poder temporal)."

2016 se aproxima e é preciso reclamar o exercício do voto por cidadania e não por vínculo a irmandades e por obediência de fé religiosa, é preciso defender um Estado laico. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Governo de Flávio Dino rumo ao último biênio

Tive uma educação libertária, isso já é suficiente para não adorar ídolos, heróis e nem acreditar na doutrina da "vanguarda revolucionária", o que entraria em conflito direto com as percepções e entendimentos que tenho sobre o que é História. Logo não tenho vocação a discípulo, a servo, a escravo e nem a puxa-saco ou lacaio. Minha torcida é cívica e republicana pelo governo, pela governabilidade e governança que, cumprindo os parâmetros de governo da lei, responda às necessidades do povo e aos negócios públicos com responsabilidade, competência e publicidade.
Em democracia a crítica e a contestação são direitos do cidadãos não é uma dádiva do governante. A contestação e o reclame não precisa de um aceite prévio ou concessão do ocupante do poder. Assim, a esfera da democracia guarda tensões e um certo nível de dissenso. A discordância não precisa estar fundamentada ela é. Isso difere de acusações em atos e procedimentos que configurem como crimes. A crítica, longe de ser uma …

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…