sábado, agosto 01, 2009

MEIA VOLTA: para o corner


Não existe infalível e super-homem na história política. O que existe são indivíduos com mais ou com menos acertos. A ação de poder está sempre aberta às flutuações, desagregações e novas combinações. As formas de relações e os resultados delas mudam, muda o contexto e a história assume uma outra configuração. Essas mudanças são ilustradas de uma forma bem simples por Maquiavel: "Disto depende ainda a variabilidade do sucesso porque, se alguém procede com cautela e paciência em tempos que exigem tais qualidades, então tudo se sai bem; mas se os tempos sofrem mudançam e os comportamentos permanecem inalterados, então é a ruína." Os grupos e as tradições paulistas já estão em outro patamar; a polarização da disputa política a partir de São Paulo imprime uma dinâmica com mais fôlego e recursos; as intimidações de bastidores, tantas vezes utilizadas não lograram êxitos com os atuais opositores.
O presidente do Senado vai renunciar após o fim do recesso. Porque é sua melhor saída para o momento. Pode fazer isso barganhando que o PMDB indique o vice-presidente na chapa de Dilma.
Agora só resta ir para o corner, esperar 2010 e contar com a repetida incompetência dos adversários maranhenses. Ano que estarão abertas 18 vagas de deputado federal, 02 de senador e o governo do estado.

(O crédito da foto não foi possível identificar, mas foi encontrada pelo google images)

Os ouvidos que o discurso do PT não encontram mais.

Os ouvidos que o discurso do PT não encontram mais.  Eu trabalho com duas hipóteses sobre a situação do PT:   1- a irresponsabi...