segunda-feira, outubro 22, 2012

São Luís: o inferno do ocaso político e o desespero pincelado de fascismo



Sou a favor de toda e qualquer reunião pacífica, sem armas... de qualquer categoria profissional visando melhorias na condição de trabalho, de remuneração mais digna e para exercer sua liberdade cidadã. Policiais são cidadãos. Já manifestei minha opinião sobre isso desde a greve de 2011: 

"Salta aos olhos o aumenta da carga de exigências de capacitação e especialização dos policiais. Porém, a exigência por qualificação não é acompanhada por um processo de progressão, retribuição e recompensa equivalentemente justo. O policial militar acaba vivendo à margem dos ganhos e conquistas profissionais existentes para as diversas outras categorias profissionais.


Em grande medida, o formato organizacional atualmente existente nas polícias militares está alinhado a uma doutrina, onde o ser policial implica em exercer uma espécie de “sacerdócio” cívico. O policial deve estar sujeito a todos os sacrifícios meramente por uma causa maior. Carreira policial não é sacerdócio e deve ser tratada com todos os merecimentos e garantias de carreira profissional. 


Essa doutrina pode até ter seu lado útil, mas começa a se tornar danosa à medida que é convertida em uma ideologia justificadora e legitimadora do não reconhecimento do valor do trabalho dos policiais. Terrivelmente falha e equivocada quando tenta ignorar e desconsiderar as condições reais de existência dos policiais e de suas famílias. É particularmente perversa enquanto tentativa de negar o direito de vida digna desses cidadãos."
Seria hilário se não fosse uma peça deplorável. O militar diz: "CONSCIENTIZAR". Isso é um perigo? É uma ameça miliciana? Isso só é perigoso para quem detesta Democracia e é cria do regime autoritário. Missão que não se pode revelar não quer dizer que será ilícita ou violenta. Missão pode ser uma tarefa de rotina, vários tipos de tarefa (fala típica de caserna). Qual o partido ou comitê eleitoral que não faz reunião reservada? Casotelo quer criminalizar os policiais e tirar o direito deles de ter vida cívica. 

Policiais e familiares de policiais, respondam nas urnas a esse preconceito. Isso tem uma tentativa de vingança...  por conta da Greve de 2011.

Castelo, herança da ditadura, quer criminalizar os policiais que querem conscientizar os colegas. Isso é prova cabal da sua aversão pelo regime democrático. 

Sumiram as postagens dos castelistas anti-Sarney. Só não esqueçam... que as publicações feitas em blogues, em alguns jornais estão arquivadas. Negar agora o anti-sarneísmo é vergonhoso. Humilhante. Cadê o ódio que vocês manifestavam contra o senador Sarney? Por isso... é que nunca botei credibilidade nesses que tratam com ódio o adversário e opositor político.

Vou fazer VOTO ÚTIL consciente de todas as suas implicações e com todo prazer. Nulo jamais. Particularmente diante da persistência dos fósseis autoritários. Quem acha que é tudo ou nada em campo político regulado... está perdendo tempo.. discutindo voto, sistema eleitoral. Melhor é mobilizar as massas para uma insurreição. Só assim todos os ruins podem ser impactados e expurgado pelo tribunal da verdade revolucionária (sobre isso a história está cheia de casos genocidas de doentes autoritários.. tiranos da pior espécie) . Alguma coisa é sempre alguma coisa no campo regulado. 

Quando o cidadão vota não encerra por definitivo sua participação e nem aliena seus direitos de cidadãos. Como não vejo nenhuma mobilização popular de massa para desconstruir a ordem política vigente...e, além da ausência disso, como o processo ainda goza de ampla legitimidade... 

VOU METER meu dedo com força na urna, firme! Motivado ainda mais com a aliança Sarney-Caostelo. Votar não é vender a crítica e nem abdicar dos direitos de cidadania. Depois...se não prestar... o remédio é Bigorna! 

Só ver sarno-castelistas apavorados é... sem igual! 

Sonho e questão de classe



Sonho e questão de classe..
Tenho um sonho.. de infância... descer o rio Itapecuru... desde a nascente.. até a baía de São José. Recentemente.. fiquei cheio de esperança. Bateu aquele otimismo: vou realizar esse sonho. Por que esse otimismo? Estava assinto o Jornal Hoje, da Globo... por ele fiquei sabendo que a indústria náutica estava de olho na classe C. Entre tantas coisas maravilhosas que mostraram... apareceu uma lancha de banco de couro, com equipamento de navegação, motor etc.... e tudo por R$ 23.000,00. Além da vantagem do pagamento parcelado. Nossa... pensem em uma alegria. Pensei: deve ter algo mais baratinho para a classe D ou E... Esperançoso já estava me incluindo nessas classes. Crente que ia achar um barquinho "mais baratinho". Fui ao mundo das compras.. Revirei os sites. Depois pisei no chão e resolvi circular o comércio local. Nada compatível ao tamanho do meu "poder aquisitivo". Not para o bolso de Francisco. Depois de várias frustrações... já me sentindo classe F (de francisco)... vejo esses barquinhos em uma loja. Fiquei muito alegre... poxa... enfim a mercadoria da minha classe. Olhei.. imaginei como usar.. que equipamentos poderia ser levados em tal aventura, nome da expedição etc. Bateu a curiosidade de ver o preço... Puzt!!! Para que fui fazer isso? Pergunto-me até hoje. Estava tão alegre. Lá se vai eu despencando em sonho e classe social. O preço me fez ver que nem esse barquinho está ao alcance do meu consumo. O que começou com a ilusão de ser classe D... foi baixando para F... e, em um instante, transformou-se no clarão do Z. 
É...! Sonhos existem, fetichismos existem e pobrezas também existem... e podem aparecer de forma combinada, "como síntese de múltiplas determinações" kkkkkkkk, em uma bela uma loja de shopping.

Hoje é Páscoa.

sexta-feira, 30 de março de 2018 12:40 Hoje é Páscoa. ·         Por Francisco José A Páscoa é uma data maravilhosa, porque rep...