Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro 28, 2015

Nauro Machado: O Parto

Morte de Nauro Machado. Só agora soube de sua passagem (deste para o outro mundo, o corpo..alma de poeta sempre está lá). Conheci  a poesia de Nauro no início da década de 90.. Logo descobri vários de seus livros na biblioteca  da UFMA. Fui renovando alguns empréstimos e pegando outros, dentre eles O Ofício do Caos. Na década de 50 ele escreveu um poema que diz bem da sua alma poética... 
"O Parto
Meu corpo está completo, o homem - não o poeta.
Mas eu quero e é necessário 
que me sofra e me solidifique em poeta, 
que destrua desde já o supérfluo e o ilusório 
e me alucine na essência de mim e das coisas, 
para depois, feliz e sofrido, mas verdadeiro, 
trazer-me à tona do poema 
com um grito de alarma e de alarde: 
ser poeta é duro e dura 
e consome toda
uma existência."