quarta-feira, março 09, 2011

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Angelim plantado por morador - o que a prefeitura não faz.



Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)

É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente sobre elas.

As expressões contemporâneas de movimento são formas libertárias de ação, que rompem com a forma cristalizada, colonizadora e monolítica de ação, cujos sujeitos nada mais são que elementos fetichizados e sustentados por categorias estabelecidas por força de apriorismo.

A via unidimensional implantada pelo socialismo marxista ortodoxo não tem mais viabilidade de centralidade. Há tempos caducou. A centralidade está morta. As sublevações vivem e soam como vida nova, plural e em redes. 

É preciso efetivar a Legítima Defesa Pacífica diante das irresponsabilidades governamentais com áreas públicas. Estabelecendo uma nova cultura de governança, com maior equilíbrio das frações que compõe a sociedade, efetivando a responsabilidade, a transparência submetidos ao controle social. 

Garantir, para si e para terceiros, condições de sobrevivência digna, assegurando também a continuidade da pluralidade de vida no planeta é objetivo da Legítima Defesa Pacífica.

As Ações Diretas de Intervenção Ecológica possuem essa finalidade. Garantir a existência saudável do ambiente. Essa prática consiste, dentre outras, em plantar mudas de plantas nativas. Plantar mudas em espaços deteriorados, buscar  arborizar áreas públicas e impedir e devastação e destruição de ecossistemas.

Você pode fazer uma Ação Direta. Produza em casa ou compre uma muda e depois plante em uma área pública, visando melhorar visualmente e climaticamente sua cidade.

São Luís

Quem disse que na Av. Litorânea não se pode plantar árvores? 
Quem inventou de plantar palmeiras exóticas nos canteiros centrais das avenidas de São Luís? Por que  desconsideram a flora local? A que isso serve?

Angelim-rosa (Andira fraxinifolia.) é uma árvore nativa com copa exuberante e de bela floração. Porém, ignorada pelo órgão responsável pelo paisagismo de São Luís (IMPUR). O custo de produção de uma muda de Angelim é muito baixo, o custo da manutenção também é baixo. Por que essa importação de tantas palmeiras e plantas não-nativas? Existe um mistério nisso aí.

Essa foto é de um Angelim-rosa plantado por um morador (Cohab). Isso serve para ilustrar o que pode ser uma Ação Direta de Intervenção Ecológica. 

Hoje é Páscoa.

sexta-feira, 30 de março de 2018 12:40 Hoje é Páscoa. ·         Por Francisco José A Páscoa é uma data maravilhosa, porque rep...