segunda-feira, junho 16, 2014

A Humanidade diante do Horror na pintura rupestre


Considero esse painel um primeiro registro de terror vivido pela humanidade. Trata-se da pintura rupestre na pedra de Sefar, em Tassili-n-Ajjer, sul da Argélia. As setas coloridas indicam algumas particularidades da cena. Roxo - Cabeça incomum e não humanoide, em contraste com as outras figuras humanas que aprecem com cabeças em formatos normais (criança e mulheres). O ser é retratado de forma agigantada, medindo 3,5 m. Amarelo - Nuvem na altura do abdômen. Laranja - antílope bem desenhado, correndo atrás do mostro. Azul celeste - criança, um bebê, aparece sobre o dorso de um antílope em fuga. O antílope é colorido, o que não foi feito no outro. Azul anil - esfera com hastes, aparece dentro da nuvem, também na altura do abdômen do mostro. Verde limão - mulher suplicando, cena muito dramática. No painel completo aparece várias mulheres ajoelhadas e elevando o rosto e as mãos para cima. 
Vejo um acontecimento terrível. mulheres perdendo seus filhos e suplicando desesperadas. Árvores aparecem arriadas, e uns incomuns "cogumelos". O antílope não pintado parece estar em meio a uma nuvem de poeria, correndo assustado. os animais aparecem em fuga.  Um bebê foi lançado nas costas do antílope, talvez uma tentativa de salvá-lo. O que seria essa nuvem no abdômen do mostro? Um vapor que saia? E as esfera que aparece no abdômen, no centro da nuvem? 
O mostro extraordinário foi posto na cena com transparência, sem que a cena atrás desaparecesse, como se fosse para retratar o efeito de sua passagem. Incrível. O artista certamente quis ser didático e registrar um perigo. Pois o mostro parece ter preferência pelas mães com bebês. Mostro esse que não tem cabeça em formato humano, apesar de sua face ter traços tênues de olhos e boca humana. Os braços mostram a singularidade de chifres na altura do cotovelo, o que lembra as garras e articulações mecânicas atuais. 
O monstro também aparece com uma genitália masculinizada, o que parece ser uma interpretação artística diante do ataque às mulheres. Será que a s mulheres foram engravidas e depois tiveram seus filhos raptados ou somente tiveram seus filhos raptados? O que parece irrefutável é que era um ser estranho, e isso ganha crédito pela habilidade artística de representar os outros seres com precisão: as mulheres, o bebê, os antílopes, árvores etc.   
Fica a sensação que H.G. Wells não fez uma ficção tão distante da história da humanidade.

Hoje é Páscoa.

sexta-feira, 30 de março de 2018 12:40 Hoje é Páscoa. ·         Por Francisco José A Páscoa é uma data maravilhosa, porque rep...