Pular para o conteúdo principal

SARNEÍSMO ENVERGONHADO É ANTI-DILMA.


Não tenho medo de admitir e reconhecer os méritos dos adversários. Em diversas oportunidades já fiz isso e não tenho arrependimento disso. Considero mais perigoso aquele que finge ser amigo, que finge ser aliado, pois pode me golpear sem que eu tenha chance de me defender.
Reconheço o mérito do sarneísmo assumido, que não fica escondido atrás de nenhuma capa, que vai para a luta, leva porrada, mas não deixa de prestar serviços aos Sarney. Exemplos: Chiquinho Escórcio, João Alberto. Temos que reconhecer que há uma sinceridade nisso. Mérito: são assumidos!!!

Atualmente tem proliferado um tipo diferente de sarneísmo, o sarneísmo envergonhado. Esse sarneísmo, grosso modo, está escondido debaixo da capa da sucessão presidencial. O maior interesse não é a eleição de Dilma, mas conseguir espaço junto ao atual governo estadual para barganhar cargos na administração estadual e federal. Detalhe: esses recém-seguidores não estão levando em consideração que, no seio da “família”, não se admite infiéis e quem entra na chuva é para se molhar. Chiquinho já avisou. Será que não entenderam? Lá não cabe brincar de TENDÊNCIA!

SÃO ANTI-DILMA PORQUE:

Gostaria de ver a pesquisa que mostre a intenção de voto em Dilma vinculada diretamente à governadora do estado. Se o importante é ter palanque, isso não é problema para Dilma no Maranhão. Tudo indica que ela vai ter quase todos os palanques. Nem mesmo Castelo, do PSDB, tem tido coragem de bater no Governo Lula. Castelo disse, durante a campanha para prefeito de São Luís, que era Lula. Agora, sem nenhum constrangimento, está com o programa Minha Casa Minha Vida, grudado novamente em Lula.
O povo sabe e não tem dúvida sobre o que foi “dado” pelo “papai Lula”. Quem precisa de quem?

Não duvido que tenha gente só olhando para o umbigo. Só que isso precisa ser explicitado. Muitos não estão olhando o contexto, as coisas que estão compondo o cenário político. Por exemplo, a adesão do PT ao PMDB, no Maranhão, beneficia um tucano autêntico e serrista: Roberto Rocha. Ele pode ganhar, de graça, o posto de chefe da oposição no Maranhão. Basta se candidatar e canalizar os votos da rejeição de Roseana e de Jackson. Essa é a visão ampliada do sarneísmo envergonhado!

Dizer que DILMA é o terceiro mandato de Lula, é, no mínimo, machista! Isso tem consequências devastadoras para a candidata do PT. Vejamos: Serve para reforçar o preconceito contra as mulheres na Política. Mulher não tem capacidade de governar? A candidata não tem atributos próprios?

É uma postura anti-democrática e anti-republicana. Só em configurações políticas autoritárias ou totalitárias é possível que o “eleito” não governe. Lula vai governar dos bastidores como uma eminência parda? NÃO. Lula é um democrata e não aceitará macular sua biografia com tal coisa. Lula tem defendido a alternância e acredita na capacidade de Dilma para governar.

Por outro lado, o governo Dilma não pode ser continuidade do governo Lula. Tem que ser um novo governo. O Governo Lula tem uma aprovação ímpar na nossa história, mas não foi perfeito e precisamos avançar ou deixar de nos omitir em diversos setores. O que deve permanecer é compromisso com os avanços e melhorias desencadeados pelas políticas públicas exitosas no Governo Lula. O que deve permanecer é o ideário e a consciência de responsabilidade social, justiça, liberdade democrática, humanismo etc. Não podemos nos furtar da inovação, da capacidade inventiva e de superar novos desafios. No campo político sempre proliferam novas necessidades e desafios. Enfim, o novo sempre vem.

A PARTE E O TODO.

O Brasil há tempos optou por um tipo federativo de Estado. Somos uma Federação, isso tem consequências práticas no que tange a distribuição de riquezas e equilíbrio de poder entre os entes federados. No Brasil, o federalismo já surgiu por imposição do interesse regional, particularmente dos paulistas, que puxaram e efetivaram esse projeto com a nomenclatura de “movimento republicano”. Só muita ingenuidade ou má fé para pensar o Nacional de forma estanque do Local. Ninguém faz isso. A parte não existe sem o Todo, mas o todo para existir precisa das Partes. Os demais estados da federação estão compondo politicamente articulando suas agendas de interesses locais. Se você não tem capacidade de perceber sua própria condição, como pode querer ter protagonismo político?

Ficar olhando só para o umbigo é um erro, mas decepá-lo é suicídio. Moral da história: olhe o mundo em volta, mas não esqueça seu umbigo! Você só tem um e ele é seu. Eu nasci e vivo no Maranhão. Não é o governo de Santa Catarina que vai pensar e resolver as minhas dificuldades de emprego, renda e atendimento médico. Que projeto político progressista é esse que quer perpetuar um mando político que, empiricamente, já deu provas que não é capaz ou não quer resolver os principais problemas que afligem o povo do Maranhão?

Antes de tudo, a unidade federativa deve ter capacidade de autogestão, não devemos ter como projeto uma dependência completa da União. Hoje vivemos à custa da União, com uma participação quase insignificante na composição do PIB nacional. Essa situação é fruto do mando político do grupo que se encontra no controle do estado.

O MARANHÃO NÃO É UMA CAUSA MENOR.

Tem-se compaixão, piedade e solidariedade para com o povo do Haiti. Ato Louvável. Por que não devemos ter a mesma atitude com o povo do nosso estado? A capital do Haiti possui 6 milhões de habitantes, não podemos ignorar a dor e a necessidades deles. Da mesma forma não poderemos ignorar a população do Maranhão (6 milhões de habitantes) da qual fazemos parte. MARANHÃO ACIMA DE TUDO! Há tempo para tudo... até para mudar. O tempo é agora!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Governo de Flávio Dino rumo ao último biênio

Tive uma educação libertária, isso já é suficiente para não adorar ídolos, heróis e nem acreditar na doutrina da "vanguarda revolucionária", o que entraria em conflito direto com as percepções e entendimentos que tenho sobre o que é História. Logo não tenho vocação a discípulo, a servo, a escravo e nem a puxa-saco ou lacaio. Minha torcida é cívica e republicana pelo governo, pela governabilidade e governança que, cumprindo os parâmetros de governo da lei, responda às necessidades do povo e aos negócios públicos com responsabilidade, competência e publicidade.
Em democracia a crítica e a contestação são direitos do cidadãos não é uma dádiva do governante. A contestação e o reclame não precisa de um aceite prévio ou concessão do ocupante do poder. Assim, a esfera da democracia guarda tensões e um certo nível de dissenso. A discordância não precisa estar fundamentada ela é. Isso difere de acusações em atos e procedimentos que configurem como crimes. A crítica, longe de ser uma …

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…