Pular para o conteúdo principal

A difícil situação do Brasil e o oportunismo cretino

O PT se autodenominar de esquerda e dizer que é inocente eu até entendo. A autodenominação deve ser respeitada. No entanto, os critérios de ser ou não de esquerda podem e devem ser matéria  de discussão e debate. (Até lembrei do velho vermelho Marx quando diz que "não é aquilo que os homens dizem que são ou as representações que fazem de si, mas o que efetivamente são etc. "o que fazem..o lugar que ocupam"). Por que não devemos debater tais coisas? Considero que devemos. Mas, para além disso, há uma miséria e um cretinismo sem precedentes. O cretinismo é transcende qualquer coloração ideológica, fantasiosa ou real. Faço referência aos que até pouco tempo se diziam uma outra esquerda etc e tal e agora agem de forma mecânica e sincrônica, como via auxiliar ou correia de transmissão do PT, reproduzindo e difundindo essas "verdades" que o PT cria a cada segundo para anular os fatos e negar nossa capacidade de distinguir a realidade de um delírio, de um sonho (basta você se perguntar o que me faz distinguir o que sonhei   (quando dormia) e a realidade). O que produziu tamanha adesão? Civismo, patriotismo, nacionalismo, fervor democrático, cultura republica? Sinceramente não creio que seja nada disso... Até agora o que revela é oportunismo de forma mais cretina. Cretinismo esse já mais que provado nas outras frações que se opõem ao PT e ao governo Dilma. Vejamos.. o que faz um  partido ou grupo considerado de esquerda e que supostamente não é governo abraçar teses que minimizam os crimes contra o patrimônio público, que manipula até em plena contradição a ideia e os princípios de um Estado de Direito Democrático e que, por fim, tenta criar um excludente de culpabilidade generalizando a sociedade inteira como criminosa e delituosa, negando que em todas as épocas...mesmo os que eventualmente ou recorrentemente cometem desvio de conduta sabem e reconhece quais os parâmetros de moralidade estão firmados naquela sociedade (seja qual for a modalidade de o firmar). O dramático desse cretinismo oportunista é que ele é suicida. Não há outro discurso, outros ideais e outros posicionamentos aos que ainda se vêem enquanto esquerda a não ser seguir o PT e o governo que aí está? Eu acho que essa cegueira em uns e o cretinismo em outros é o que há de mais golpista contra ideais de Justiça, Igualdade, Liberdade e contra os que defendem posições progressistas e emancipatórias. Isso aí é um enterro coletivo e escancarar e pavimentar uma avenida para uma extrema direita. Há mais de dois anos tenho dito que o PT está apostando no pior como saída honrosa. Agora o que vemos são os cretinos endossarem esse absurdo. Só pouco conhecimento (ignorância) sobre as tradições e modelos de democracia e de república para não reconhecer que esses governos petistas violaram parâmetros democráticos e republicanos. O primeiro deles, que é muito grave, foi de ferir as leis. O segundo, não separado do anterior, foi a corrupção, pois é gravíssimo, porque fere a base da Política, que trair os que confiaram em delegar a soberania e autoridade àquela pessoa (ou pessoas).  Ora isso não é negar crimes cometidos por outros no passado e nem concordar com que eles tenham ficado impunes. Nada disso. O momento é de se dizer efetiva Basta tanto ao presente com ao passado dessas formas de violação. Tirando a cegueira passional, do séquito entorpecido pela paixão, a ignorância aguda de uns... o que se ver avolumar é o oportunismo cretino. Basta ver uma pessoa ou grupo de pessoas ditas de esquerda  e também ditas não-governistas reclamarem da falta de fidelidade do PMDB. O PMDB obrigou o PT a fazer uma chapa com ele? Foi uma coligação forçada ou um nível de entendimento e comunhão de interesses? É sério alguém de Esquerda querer, a essa altura e com tamanho passado, cobrar postura ética do PMDB ou afirmar que o PMDB não presta? Chega, basta de cretinice! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Governo de Flávio Dino rumo ao último biênio

Tive uma educação libertária, isso já é suficiente para não adorar ídolos, heróis e nem acreditar na doutrina da "vanguarda revolucionária", o que entraria em conflito direto com as percepções e entendimentos que tenho sobre o que é História. Logo não tenho vocação a discípulo, a servo, a escravo e nem a puxa-saco ou lacaio. Minha torcida é cívica e republicana pelo governo, pela governabilidade e governança que, cumprindo os parâmetros de governo da lei, responda às necessidades do povo e aos negócios públicos com responsabilidade, competência e publicidade.
Em democracia a crítica e a contestação são direitos do cidadãos não é uma dádiva do governante. A contestação e o reclame não precisa de um aceite prévio ou concessão do ocupante do poder. Assim, a esfera da democracia guarda tensões e um certo nível de dissenso. A discordância não precisa estar fundamentada ela é. Isso difere de acusações em atos e procedimentos que configurem como crimes. A crítica, longe de ser uma …

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…