Pular para o conteúdo principal

São Luís: o continuísmo do descaso


Hoje foi mais um dia em que o descaso continuado na administração pública ficou boiando no meio da rua. É isso. água pluvial e esgoto doméstico cobriram o "asfalto" de diversas avenidas de São Luís, Em diversos trechos a água subiu de forma avassaladora. O problema não nasceu na atual gestão municipal, nem na passada, está tomando volume durante durante décadas. 

Depois da redemocratização, o período entre 1985 - 2012, intervalo de tempo entre as gestões dos Gonçalves: Gardênia Gonçalves e Castelo Gonçalves, a prefeitura municipal de São Luís ficou sobre o comando do PDT e parte da oposição anti-Sarney. Nas primeiras gestões do Dr. Jackson foram feitas algumas obras de macro-drenagem, mas incompletas, por exemplo: avenida São Luís de França (Turu), Cohatrac III. canal do Renascença (ao lado do Imparcial) etc. Nada de mais planejado e abrangente foi feito além disso. Essas obras citadas ficaram incompletas e em todo o restante da cidade ficou a espera de melhorias de drenagem. 

O tempo passou, e as áreas impermeabilizadas aumentaram significativamente com a proliferação dos condomínios. Proliferação ocorrida sem muito critério e sob o manto da omissão do poder público. Ora, com isso, onde existia uma drenagem capacitada para uma vazão X passou a ter uma carga X+10. A falta de fiscalização e a tal "vista grossa", permitiu empreendimentos imobiliários com áreas externas 100% impermeabilizadas,  que contribuem para impactar violentamente as ruas com um grande volume de água. Além disso, são inúmeros quintais totalmente impermeabilizados, jogando muita água para rua ou, pior, para dentro da rede doméstica de esgoto.  

Para piorar o escoamento, áreas verdes foram destruídas, bacias naturais foram ocupadas, entulhadas irregularmente ou griladas reduzindo as áreas de infiltração da água. As bocas de lobo e o diâmetro das manilhas existentes, na maior parte do sistema de drenagem, não suportam mais o volume de água acumulada nas ruas e avenidas. Em diversos pontos da cidade não existe qualquer sistema de drenagem. 

Para piorar esse acúmulo de descaso foi eleito um rapaz que não tem demonstrado disposição nem sagacidade suficiente para enfrentar esses e tantos outros problemas existentes na cidade de São Luís. Não é questão só de faltar experiência e capacitação, mas de não ter obstinação, determinação e força de vontade suficiente. O rapaz parece que paralisou diante da responsabilidade. 

Bastava fazer o mínimo, mas nem isso foi feito até agora. O mínimo já seria o máximo. Porém, não está acontecendo. 

Se não sabe o que fazer... não custa nada procurar quem sabe. Por que essa gestão não vai atrás de quem tem capacidade de produzir projetos  e estudos consistentes sobre os problemas que estão atormentando os cidadãos de São Luís? O Brasil está cheio de especialistas e experientes técnicos é só ir atrás. 

Esse mandato de Holanda Jr. formou um governo arquipélago, Esse arquipélago é  pior do que o arquipélago do governo da libertação. É bastante nítido o esforço e o empenho de alguns poucos secretários, mas acabam gerando uma espécie de secretarias ilhas. 

As decepções dos eleitores que votaram no atual prefeito de São Luís são várias. Boa parte do eleitorado esperava, no mínimo, melhorias no trânsito, na pavimentação, no transporte público, na saúde ... O começo do mínimo de mudança passa por esses pontos. Será que está faltando só recursos para essa administração fazer as devidas e necessárias mudanças? 

Quem votou em Holanda Jr. para ver a reprise da reprise desse modelo ineficiente e nada racional de sistema de trânsito aí existente? Quem quer ver só a reativação da sinalização caça-níquel? Até agora nada de significativamente melhor, inovador e útil foi feito para melhorar o trânsito de São Luís. Onde estão as mudanças para reduzir os gargalos e melhorar as condições de trafegabilidade? 

Ao contrário disso, a Prefeitura colabora com uma tremenda bizarrice em frente ao shopping São Luís, que implantou semáforos para os clientes que saem de carro irem na direção do Centro. Tem coisa mais absurda? Ao lado do shopping existe um viaduto com alças de contorno, basta dirigir mais 200 metros contornar pelas alças do viaduto e ir na direção do Centro.

Enquanto isso .. congestionamentos e engarrafamentos se prolongam no trecho entre a casa do trabalhador e a ponte Bandeira Tribuzi. Começa com um sinal de pedestre antes do Fórum, depois surge uma barreira eletrônica, em seguida um contorno no meio da avenida, um pouco mais à frente estão postos os sinais do shopping e para completar mais dois semáforos antes da cabeceira da ponte Bandeira Tribuzi.  Podia ter inovação maior?

É! Muitas coisas ainda vão continuar boiando nessas enxurradas...   


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…

A CORRUPÇÃO NÃO É UMA COISA MENOR

A CORRUPÇÃO NÃO É UMA COISA MENOR A relativização aplicada aos casos de corrupção praticada por parte da “esquerda” (criminosos da “política’) é vergonhosa e irresponsável, mas não deixa ter coerência interna com a doutrina política que abraçam (ao credo religioso que professam). Esse modelo de esquerda existe enquanto séquito e seu ethos é de natureza similar aos ethos encontradas em seitas religiosas. Seguem a apreciação dos fatos e do contexto sob a ferrenha força doutrinária (que diz o que fazer) e sustentada pela fé cega (eles creem por creem, sem se permitir pensar sobre os rumos da sua fé e os efeitos dela sobre o contexto). Essa parte é, sem exagero nenhum, composta por fanáticos. O fanatismo é tão exacerbado que buscam escamotear fatos, em que pese as diferenças e possibilidades interpretativas, são passíveis de verificação por diversos meios. Mas, como fanáticos de tipo de seita, estão mantendo a coerência, pois não só isso pode ser racionalizado a partir da doutrina mãe (marx…