Pular para o conteúdo principal

Antidemocracia Made in Brazil


Block Bloc... o lugar comum e bode de todos. Black bloc é movimento? Qualquer um que chegar vestido de preto e/ou com uma máscara e entrar em uma manifestação é black bloc? Bater boca só sobre black bloc é desviar a atenção do que é essencial.  Diversas manifestações ocorreram antes da imprensa transformar os black bloc em um fetiche. O que está em jogo agora é apuração e se os brasileiros têm ou não direito e legitimidade de protestarem.
Já chegou a hora de identificar e responsabilizar os criminosos e baderneiros pagos e INFILTRADOS nas manifestações visando esvaziar os atos e criminalizar os protestos cívicos e democráticos. Quem são os mandantes dos infiltrados baderneiros? Pois o maior produtos das manifestações são a pressão e o desnudamento dos ocupantes do poder. Depois das manifestações o mundo passou a ver mais o Brasil real, que está dominado por péssimos políticos e agentes estatais. Com uma corrupção escancarada e com baixa qualidade nos serviços públicos.
Com uma visível promiscuidade entre classe política e organização criminosa. Não por acaso o advogado que apareceu falando como defensor  do rapaz que soltou o rojão é advogado de um ex-deputado ligado às milícias cariocas. 
A sinergia entre oposição e governo em prol da desmobilização e inibição das manifestações civis é nítida no consenso em torno da PSL 499 de 2013. Com artigos prevendo penas mais rigorosas que a Lei de Segurança Nacional do período da Ditadura,não só isso, vaga e genérica a ponto de possibilitar enquadrar qualquer manifestante como terrorista. A democracia nunca teve tantos inimigos reunidos, pois eles se propagam da direita à esquerda, da situação ao governos federal e estaduais. 
Desde quando não se come em manifestação? Desde quando movimentos, sindicatos, movimento estudantil não pedem apoio e ajuda para manifestações? Vou roubar faixas e lanches? Ridículo.
A questão é: quem está sendo pago e por quem para implantar o terror e deslegitimar os manifestações? Interessados nisso não faltam e de todos os lados. Basta ver na internet a extra-direita golpista reproduzindo posts antidemocráticos contra o governo e contra os manifestantes, basta ver esse advogado de milícia se passando por defensor do acusado de ter lançado o rojão que vitimou o cinegrafista da Band e a postura comemorativa do governo feita em nota. 
De repente outras vítimas foram esquecidas. O número de vítimas em manifestações tem aumentado. Seja em manifestações cívicas, seja em manifestações promovidas por facções criminosas. Esqueceram das manifestações e vítimas do PCC? Não podemos esquecer nenhuma vítima. Alguém ainda lembra do fotógrafo que perdeu a visão de um olho?
Pois bem, o cinegrafista da BAND que morreu estava trabalhando. 
Aí não tem uma questão trabalhista? Há tempos, diversos profissionais são lançados na linha de frente em situações de alto-risco, trabalhando no meio do confronto sem nenhuma proteção ou com equipamentos de segurança precários. O rapaz atingindo estava posicionado entre policiais e manifestantes, em imagens postadas no youtube, percebe-se que o clima já era hostil e violento na hora que ele foi atingido. 
Os barões da comunicações estão dando a devida atenção aos perigos dos seus funcionários? Não foi sem motivo que a ONU lançou em maio de 2013 um site no Brasil sobre segurança dos jornalistas. O autor da morte do cinegrafista tem que ser punido, mas essa questão envolve mais pessoas.
Mas, não podemos deixar de indagar: a quem interessa acabar com as manifestações? Os brasileiros não podem e não possuem motivos para irem para ruas protestarem? Quem prove e lucra com a violência? As manifestações podem ser resumidas a black bloc? 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Governo de Flávio Dino rumo ao último biênio

Tive uma educação libertária, isso já é suficiente para não adorar ídolos, heróis e nem acreditar na doutrina da "vanguarda revolucionária", o que entraria em conflito direto com as percepções e entendimentos que tenho sobre o que é História. Logo não tenho vocação a discípulo, a servo, a escravo e nem a puxa-saco ou lacaio. Minha torcida é cívica e republicana pelo governo, pela governabilidade e governança que, cumprindo os parâmetros de governo da lei, responda às necessidades do povo e aos negócios públicos com responsabilidade, competência e publicidade.
Em democracia a crítica e a contestação são direitos do cidadãos não é uma dádiva do governante. A contestação e o reclame não precisa de um aceite prévio ou concessão do ocupante do poder. Assim, a esfera da democracia guarda tensões e um certo nível de dissenso. A discordância não precisa estar fundamentada ela é. Isso difere de acusações em atos e procedimentos que configurem como crimes. A crítica, longe de ser uma …

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…