Pular para o conteúdo principal

O QUE O PT APROVA É PROVA


Muitos andam indignados, mas nem tantos... UNS indiferentes e OUTROS enojados... Existem os que resistem aos acertos e feixes de imposições de forma lúcida e realista. Esses sabem o tamanho do adversário e suas vantagens, estão determinados em aproveitar o momento para acentuar os contrastes, fazer oposição e não ficar calado sob o peso da cumplicidade.

Já foram publicadas mil e uma maneiras de ver o que ocorreu no último encontro do Partido dos Trabalhadores (PT). Porém, trata-se de um universo fecundo e que possibilita mil ângulos e pontos de vistas. Há sempre uma combinação a ser escrita em termos de visão (leitura) do acontecido. No entanto, basta-nos acentuar que o que o PT aprovou é prova do que ele atualmente é. O PT, no seu último congresso nacional, firmou estatutariamente seu formato de cúpula, com hierarquia mais verticalizada, contrastando com o assembleísmo de base que predominava até pouco tempo.

A ideia de democracia já foi deforma e apropriada de diversas vezes no curso da história, de certa forma, quase todas as correntes políticas reivindicaram ser a verdadeira democracia. Socialistas, nazistas etc. proclamaram a autêntica democracia.

Derrotados e vencedores, na disputa “interna” do PT, postularam a representação da democracia, cada um ao seu modo. A democracia não é de reclamar nem da ignorância, nem da mentira de quem fala... Mas quietamente sobrevive a esses horrores. Como? Os imperativos da liberdade e igualdade acabam sendo um fardo para quem não é verdadeiramente democrata.

Por que a direção defendeu o voto por delegados e não pela massa de filiados? A resposta começa exatamente pela massa de filiados. Hoje isso é um problema. O PT inchou bastante. Houve uma verdadeira escala de filiações e nesse mar de novos petistas muitos são suficientemente estranhos para gozar da confiança dos senhores, por força da constante margem de traição. Quem mais filiou? Quem mais filiou foi exatamente quem tem mais dúvida sobre o alinhamento do voto. A eleição por delegados é um recorte visando a prática do voto pelos os mais fiéis e alinhados das tendências. Esse é o jogo. Não abrir brecha para o imprevisto e evitar uma segunda intervenção e seu consequente desgaste frente á opinião pública. Isto é, tudo tem que ser com o suposto verniz democrático.

No momento temos a candidatura de Washington e a de Bira. O primeiro representa o alinhamento da cúpula nacional do partido com o sarneísmo e é uma típica candidatura de remoção, cujo objetivo maior é banir Washington da 1ª posição na linha sucessória do governo do estado. O segundo foi abraçado pelas vertentes que fazem oposição a Washington e militam politicamente contra o sarneísmo. Trata-se de um amplo esforço de manter vivo um campo progressista de esquerda, que busca a supressão do mandonismo sarneísta no Maranhão.

Quem vai ser o candidato muitos já dizem até saber. Não é algo muito difícil prever, já afirmaram alguns veteranos da guerra intestinal petista.
Por fim, tem-se as inúmeras versões e protestos sobre supostos atos de corrupção, suborno e coisas do gênero... Malas e “os malas”. Quanto a isso, não tem como achar que havia um universo só de puros e chegou um impuro para corrompê-los, logo só esse malfeitor indivíduo é o culpado.

Na verdade, o universo não bem assim e são poucos os que entrariam facilmente em Probopolis (paraíso dos probos). O que ocorreu, se é que ocorreu mesmo, foi o casamento da fome com a vontade de comer. Então, não houve tramoia, mas ajuste de afinidades e interesses. Ninguém consegue corromper quem não é dado à corrupção. Vai ver que as malas foram para perto por exigência “dos malas” que visavam obter algum ganho extra!
Mais uma vez aprovou com a prova do que são e onde estão. 


Ps.: Washington ter sobrevivido até hoje  na guerra do PT é prova que ele não é ingênuo. Portanto, não deve desconhecer que seu único trunfo na corte  mandonista é ser o primeiro da sucessão. Eis a sua galinha de ouro. Será que o mesmo irá matá-la? 

Comentários

  1. Olá, esta é primeira vez que visito e gostei do seu blog, parabéns por esta ótima publicação, estou aproveitando a oportunidade de comentar aqui para apresentar e deixar em aberto um convite para pessoas criativas e com vontade de ganhar dinheiro trabalhando com ética em parceria com a revista do Maranhão compartilhe esta idéia e indique a pessoas das suas relações ou a políticos, empresas ou qualquer outro tipo de pessoa que julgue que a revista poderia interessar, atuamos sob uma ótica alternativa, interativa e vibrante, através de nossos autores reproduzimos conteúdo informativo para divulgar nossos parceiros, com artigos, comentários considerados relevantes sobre assuntos que tem alguma vinculação com a região, sobre a vida em sociedade. Qualquer dúvida aqui vai o link: www.maranhencidades.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário

É uma satisfação contar com seu comentário! Obrigado!

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Governo de Flávio Dino rumo ao último biênio

Tive uma educação libertária, isso já é suficiente para não adorar ídolos, heróis e nem acreditar na doutrina da "vanguarda revolucionária", o que entraria em conflito direto com as percepções e entendimentos que tenho sobre o que é História. Logo não tenho vocação a discípulo, a servo, a escravo e nem a puxa-saco ou lacaio. Minha torcida é cívica e republicana pelo governo, pela governabilidade e governança que, cumprindo os parâmetros de governo da lei, responda às necessidades do povo e aos negócios públicos com responsabilidade, competência e publicidade.
Em democracia a crítica e a contestação são direitos do cidadãos não é uma dádiva do governante. A contestação e o reclame não precisa de um aceite prévio ou concessão do ocupante do poder. Assim, a esfera da democracia guarda tensões e um certo nível de dissenso. A discordância não precisa estar fundamentada ela é. Isso difere de acusações em atos e procedimentos que configurem como crimes. A crítica, longe de ser uma …

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…