sexta-feira, abril 22, 2011

ESCULTURA DE DIGNIDADE: DA HORA



Há monumentos que não podemos ver, nem tocar... São esculturas morais. Arte de postura digna.
É certo que dignidade é uma coisa relativa e que moral depende do contexto... Mudando o contexto..as particularidades arranjam outros referências de dignidade e valorativos. 
Seria sandice apontar a imoralidade ou a-moralidade alguém totalmente fora do universo de onde se originou e firmou os parâmetros de moralidade de tal julgamento. Mas isso não é o caso, no momento. Posso dizer, sim,  que é uma obra prima o gosto pela vida e a dignidade no viver de Abelardo da Hora.
Comunista sem grife, convicto da responsabilidade em combater a miséria e desigualdades sociais, simples e despojado. O único sobrevivente da direção do diretório regional de Pernambuco (antigo Pczão). Dedicado e amante. Amante do seu ofício, da beleza das mulheres e da sua esposa.
Foi comunista quando era um risco de morte. Foi preso enésimas vezes. Perdeu ou passou a ignorar a quantidade de prisões que sofreu. É fato, continuou livre. É um monumento artístico a trajetória de vida de Abelardo da Hora; pernambucano, escultor, ceramista, desenhista etc., e um cidadão de mais de 80 anos de vitalidade, em plena atividade no seu atelier nos fundos do seu quintal. 

Perguntado se ensinou Francisco Brennand a trabalhar com cerâmica, apenas disse: “Ele é uma pessoa muito boa.” 
Enfim, comunista com alma livre e humanista de verdade foram poucos, peças raras na história. Uma dessas raridades está em Recife. Viva da Hora!!!
(ORIGINALMENTE PUBLICADO - 04/06/2007).
Tive a honra de ser recebido por Abelardo em sua própria residência e entre dezenas de esculturas. Conversamos por 40 minutos. Tratamos de política, arte e da vida. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É uma satisfação contar com seu comentário! Obrigado!

Hoje é Páscoa.

sexta-feira, 30 de março de 2018 12:40 Hoje é Páscoa. ·         Por Francisco José A Páscoa é uma data maravilhosa, porque rep...