Pular para o conteúdo principal

GOZANDO COM O PIRULITO ALHEIO


Há os que gozam da glória por esforço e talentos próprios, mas há os iludidos que, sob o brilho alheio, ignoram a escuridão em que estão imersos. Esses últimos são os que gozam com o pirulito alheio. Sem nenhum talento e esforço aproveitam as sobras da glória alheia para se vangloriarem.
Seus olhos já estão ofuscados de tanto  olharem para os iluminados. Babando...

Por outro lado, essa situação de aliados do mandonismo não corresponde a uma ascensão, pelo contrário, é uma nítida condição de rebaixamento, pois passaram a ser meros paus-mandados ou capitães-do-mato.
Cegos pela vaidade e esperteza... acham que é uma vitória a posição que ocupam no interior do mandonismo. Não é vitória, é pura humilhação! Por quê? Porque os que outrora destilavam ódio e fúria contra a família Sarney... agora estão lhe servindo docilmente... (em troca de cargos e algumas comissões minguadas). Foram comer mansamente na mão do clã Sarney. Serão sempre tratados como membros de terceira categoria (baixo clero) dentro do clã. Lá tem hierarquia, a antiguidade por serviços prestados é posto e vale alta patente. 


Humilhação com todo requinte É o saldo, até agora, dessa adesão. Eis o legado dessas pessoas para a história.

Por outro lado, os ameaçados de expulsão, caso isso seja concretizado, vão deixar um legado bem claro para a história: não serviram ao mandonismo, não aceitaram a servidão.


Além disso, frustraram o senhor mandão de ver, antes de morrer, todos os seus opositores ajoelhados no eito do seu latifúndio! Ser expulso por não aceitar tal “parceria” política é uma honra. Ser punido e perseguido por não capitular às humilhações não é demérito, mas glória.

Não é ódio e nem rancor, senhor mandão, é convicção e crença em valores diferentes dos seus! Não queremos sua companhia política, só isso!

Seria mais coerente e digno não falsear, não criar álibis ridículos como: “corpo mole”, “falta de empenho” etc. O desejo e a deliberação de punir os não aliados já existiam. O plano era tolerar, usar nossos esforços em prol de Dilma e depois das eleições punir. Pronto! Não precisa essa dissimulação.

Os incomuns do Maranhão já são conhecidos por sua sede de vingança; estranho seria se eles não tentassem algo dessa natureza. Vingar e humilhar é um tipo de "sacramento" para  o clã mandonista.

O PT, desde o último congresso, firmou um novo modelo de ser: partido de cúpula, verticalizado, tendente a eliminar o basismo como campo de disputa e de formulação coletiva. O PT tende a ser um partido de cúpula, de poder verticalizado. Chegou o tempo de estiagem para as tendências não subservientes ao poder central.

Alguns colegas, agora acusados de terem traído Dilma, fizeram defesas calorosas em prol de Dilma. Esforço inútil, pois nem Dilma e nem ninguém da cúpula do PT estão valorizando a militância desses companheiros. Eles acreditaram na possibilidade de ser PT e Dilma sem ser sarneyzista. Nunca acreditei nisso. A ameaça de expulsão deixa claro isso!

Como já disse, o PT que existe hoje no Maranhão é o PT da aliança Dilma/Sarney/Lula. Apoiar Dilma é apoiar Roseana, sem isso vai para o paredão. É isso. O PT do Maranhão para Dilma é o PT dos que estão com Roseana no governo. Os filiados não-aliados dos Sarney podem ser descartados tranquilamente. 
Quem sabe o amanhã...?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Governo de Flávio Dino rumo ao último biênio

Tive uma educação libertária, isso já é suficiente para não adorar ídolos, heróis e nem acreditar na doutrina da "vanguarda revolucionária", o que entraria em conflito direto com as percepções e entendimentos que tenho sobre o que é História. Logo não tenho vocação a discípulo, a servo, a escravo e nem a puxa-saco ou lacaio. Minha torcida é cívica e republicana pelo governo, pela governabilidade e governança que, cumprindo os parâmetros de governo da lei, responda às necessidades do povo e aos negócios públicos com responsabilidade, competência e publicidade.
Em democracia a crítica e a contestação são direitos do cidadãos não é uma dádiva do governante. A contestação e o reclame não precisa de um aceite prévio ou concessão do ocupante do poder. Assim, a esfera da democracia guarda tensões e um certo nível de dissenso. A discordância não precisa estar fundamentada ela é. Isso difere de acusações em atos e procedimentos que configurem como crimes. A crítica, longe de ser uma …

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…