Pular para o conteúdo principal

YES, NÓS SOMOS OS MESMOS


Não consigo creditar tantas culpas ao povo. Como democrata aceito a vontade popular. Mas isso não quer dizer que não conteste resultados. O resultado é uma coisa e vontade popular é outra. A vontade popular só existe onde há possibilidade de participação livre e com poder. Isso exige que o processo tenha lisura.
No Maranhão... A accountability horizontal é ineficiente e o controle mútuo é fragilizado pela omissão cúmplice. Na forma de “favores entre amigos”, não servindo a A ou a B, mas servindo a si mesmos. É uma teia mesclada de parentela e sociedade Ltda. Todos tem um parente ou parenta casada com um mandão, os mandões casam entre e si e são sócios em diversos negócios. Esse sangue atravessa todas as esferas.
A oposição ainda joga acreditando “como o jogo deveria ser” e não como ele é disputado. Tem uma fé quase cega na transparência institucional. Isso é tão forte que não faz pressão sobre os agentes estatais. Não há nenhuma tentativa de reforçar o controle democrático através das forças sociais.


Tem quem acredite em papai Noel. Eu, não acredito nisso. Prefiro o exagero da desconfiança que a mais tênue ingenuidade. Certa vez ouvi de um repórter, recém-falecido, como o resultado de uma eleição foi moldado independentemente do que queria a vontade popular. Perguntei se ele ainda pretendia escrever sobre isso etc., respondeu-me negativamente e completou: “Ele me disse, mas não tenho provas e ele está morto!” O informante simplesmente era um Cardeal do grupo favorecido. O mais bizarro dessa história é o local onde a manipulação foi feita. Nada contra quem acredita em papai Noel, mas o modelo de urna brasileiro não pode ser auditado. Veja: http://votoseguro.org/ e http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/urnas-eletronicas-brasileiras-sao-rejeitadas/

Onde tem mão de gente nem precisa ter enchente para jaboti subir em árvore!

Infelizmente a oposição é muito previsível (nós somos previsíveis). Os donos do poder sabem que “se a diferença for pouca a oposição aceita”.

Acredita-se demais que “tem que saber perder”. É algo tão forte entre nós que já nos acostumamos com derrota e perder de pouco é considerado bom!


Nome aos bois. Quem não viu a grande contribuição de Castelo? Primeiro, omitiu-se e depois foi ensaiar um apoio na televisão, mas que na prática não era apoio nenhum a Jackson. Jackson poderia ter atingido os 22% se tivesse efetivo apoio de Castelo. Segundo, Jackson bebeu e nos fez beber do seu próprio veneno. Tudo isso foi criado pelo Jackson: a - quando ressuscitou Castelo; b – quando fez um péssimo governo (nos dois anos de governador). Jackson fez tudo errado e acobertou erros. Entre elas a lei do Cão. Para completar ainda defendeu essa lei no primeiro e último debate. Os desastres de governo e o personalismo de Jackson ajudaram também a eleger João Alberto. O lançamento da candidatura de Roberto Rocha para o senado detonou a candidatura de Zé Reinaldo (será que foi vingança?). Por que Roberto Rocha não foi ser vice de Jackson? Não considero o senhor Roberto Rocha um laranja, pois não fingiu nada. Ele tem marca genética do sarneísmo. Há autenticidade no DNA.


O jargão pedestista de Ilha Rebelde perdeu força e Jackson caminhava sob uma rejeição enorme! O povo viu o que ele fez com policiais e professores! Além disso, há tempos São Luís foi dominada pelos rincões, que juntos formam um mar de gente. Esse povo-massa não tem nada a ver com aquela São Luís de azulejos, greve de 51, greve de 79, cobra encantada etc. Isso é papo cabeça de blazer e flâneur em café filosófico. O mundo real desse povo-massa é outro.


Agora Inês está morta! Muitos estão felizes com a pouca diferença da derrota! Realmente Sarney sabe o gado que tem! E o gado não muda! Desde meu nascimento ainda não vi alternância de poder no Maranhão. Já faz um tempão que nasci. Como não acredito em reencarnação...
Vale lembrar o Millôr: “Nada é tão ruim que não possa piorar!”

Comentários

  1. Concordo em gênero, número e grau com você querido. E o que dizer de alguns "lendários" líderes de movimentos sociais e de grupos folclóricos da capital apoiando os Sarney's? Penso que no nordeste principalmente nunca deixamos e dificilmente deixaremos de ser clientelistas... essa troca de favores cretina está impregnada em nossa cultura e isso cria um ciclo vicioso. Desse jeito fica fácil para os donos do poder conhecerem seu rebanho...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

É uma satisfação contar com seu comentário! Obrigado!

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Governo de Flávio Dino rumo ao último biênio

Tive uma educação libertária, isso já é suficiente para não adorar ídolos, heróis e nem acreditar na doutrina da "vanguarda revolucionária", o que entraria em conflito direto com as percepções e entendimentos que tenho sobre o que é História. Logo não tenho vocação a discípulo, a servo, a escravo e nem a puxa-saco ou lacaio. Minha torcida é cívica e republicana pelo governo, pela governabilidade e governança que, cumprindo os parâmetros de governo da lei, responda às necessidades do povo e aos negócios públicos com responsabilidade, competência e publicidade.
Em democracia a crítica e a contestação são direitos do cidadãos não é uma dádiva do governante. A contestação e o reclame não precisa de um aceite prévio ou concessão do ocupante do poder. Assim, a esfera da democracia guarda tensões e um certo nível de dissenso. A discordância não precisa estar fundamentada ela é. Isso difere de acusações em atos e procedimentos que configurem como crimes. A crítica, longe de ser uma …

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…