Pular para o conteúdo principal

13 de maio - Senhora do Rosário de Fátima

Hoje (13 de maio) vou Fazer minha homenagem a "essas crianças" . Basta a ver a quantidade de posts nas redes sociais com a imagem de N. Senhora do Rosário de Fátima para saber que os católicos comemoram as aparições de Fátima nessa data. Isso é lá em Portugal. Mas, em geral, as faces originais das pastoras e do pastor não aparecem. Pois bem, em 1917 a fotografia já existia. Eis as faces das crianças que testemunharam o fenômeno. A Lúcia é essa maior, com essa cara de poucos amigos, tinha 10 anos em 1917,viveu até 2005. Após os fenômenos Lúcia saiu da cidade e passou a viver em conventos com a identidade oculta e só retornando para apontar os lugares onde aconteceram as visões 29 anos depois. Só voltou na Cova da Iria ao lado dos papas Paulo VI e João Paulo II (três vezes). O menino é Francisco Marto, morreu logo após as aparições de gripe pneumônica e tinha 09 anos na época dos fenômenos. Essa fazendo pose descolada é a Jacinta, tinha 07 anos quando teve as visões, era irmã de Francisco e prima de Lúcia. Morreu logo após a morte do irmão, acometida do mesmo mal. Ela quebrou o acordo entre eles de ficarem em silêncio e contou para os pais o que tinha acontecido lá na cova e, os pais, não souberam ficar calados. Todo mundo ficou logo sabendo. E aí começou todo um bafafá, envolvendo clero, céticos, crédulos, gente atrás de milagres, curiosos e as autoridades locais. Pessoas começaram a querer ir com as crianças. Primeiro um grupo de 60 e logo chegou a uma multidão de milhares e milhares de pessoa. O poder local fez pressão sobre os pais e direta sobre a Lúcia, que tinha fama de ser fantasiosa. Na verdade, família, clero e poder local não acreditavam e temiam por uma tragédia. A própria vida deles estava em jogo, pois de uma massiva frustração a multidão podia simplesmente optar pelo linchamento. E tinha aquela velha suspeita de coisas não benigna. Quem era o ser branco ? Quem era a Mulher de Branco (expressão usada para a figura vista)? Alguns, obviamente, estavam atribuído tais coisas ao dragão da maldade, o sempre atento e perturbador inimigo do rebanho de Deus. O clero sugere que ela pergunte o nome da senhora. Visão e fenômeno acontecendo. Eis que a Mulher de Branco marca uma data para revelar o nome. Pois bem, eles foram ao local e a Senhora disse: "Sou a Senhora do Rosário". Só que as pessoas queriam ver algo, ver o que só poucos viam. Mas o interesse aumentava. Fato como esse cético nenhum relaxa. Teve um dia que os meninos não foram como era esperado, mas a multidão testemunhou um fenômeno estranho: uma nuvem desceu e ficou sobre a árvore onde os meninos alegavam ver, ouvir e conversar com a Mulher Branca. A nuvem parece não ter saciado a multidão. Cada vez mais gente querendo provas. A Senhora do Rosário marcou para 13 de outubro. Então hora e local marcado para os demais olhos sentirem o gosto da cereja. Isso simplesmente arrastou um volume imenso de pessoas, existem estimativas que apontam para 70 mil. Bom lembrar que nesse período a Europa estava mergulhada na Primeira Guerra Mundial, tempos difíceis. No dia marcado, gente de todos os lados de Portugal bisbilhotando o céu, a terra e tudo que fosse visível. Já começava aquela inquietação, gente já impaciente etc., e o tempo muda, céu nubla e cai uma chuva fina. Por volta do meio dia... as nuvens se abre e a multidão presencia um extraordinário fenômeno. Conhecido como a Dança do Sol. Transcrevo agora o relato de um testemunho do fenômeno (citação literal conforme o texto da época): "o povo ora ajoelhado e olhando o alto (...) manifestações sobrenaturaes [sic], sem temer que a invernia as prejudicasse, diminuindo-lhes o esplendor e a imponencia...[sic] Vi que o desalento não invadiu as almas, que a confiança se conservou viva e ardente, a despeito das inesperadas contrariedades, que a compostura da multidão em que superabundavam os camponios [sic] foi perfeita e que as crianças, no seu entender privilegiadas, tiveram a acolhel-as [sic] as demonstrações do mais intenso carinho por parte d'aquele povo que ajoelhou, se descobriu e rezou a seu mandado ao aproximar-se a hora do 'milagre', a hora do 'sinal sensível', a hora mística e suspirada do contracto [sic] entre o céu e a terra...
E, quando já não imaginava que via alguma coisa mais impressionante do essa rumorosa mas pacífica multidão animada pela mesma obcessiva [sic] idéia [sic] e movida pelo mesmo poderoso anceio [sic], que vi eu ainda de verdadeiramente estranho na charneca de Fátima? A chuva, `a hora prenunciada, deixar cair; a densa massa de nuvens romper-se e o astro-rei - disco de prata fosca - em pleno zenith aparecer e começar dançando n'um bailado violento e convulso, que grande número de pessoas imaginava ser uma dança serpentina, tão belas e rutilantes cores revestiu sucessivamente a superfície solar...
Milagre, como gritava o povo; fenomeno [sic] natural, como dizem sabios [sic]? Não curo agora de sabel-o [sic], mas apenas, de te afirmar o que vi... O resto é com a Ciencia [sic] e com a Egreja... [sic] " (Avelino de Almeida).
Bem, crédulos e incrédulos sempre existiram quanto a esse tipo de fenômeno e de outros. Resta ressaltar coisas simples entre as mensagens e o fato: 1- crianças, camponesas e um período de guerra; 2- prega o Amor , a paz e orações (o terço todos os dias); 3- um detalhe que revela um pouco o primeiro: A Mulher Branca pede para Lúcia aprender a ler; 4- na Aparição de 13 de setembro surge no céu um "globo luminoso" e a Lúcia exclamou "É Ela! É Ela!." A Lúcia pede a cura dos doentes e a resposta é simples e rica: "Alguns curarei, outros não." Reafirmação evangélica do "muitos serão os convidados e poucos os escolhidos". Questão significativa sobre a Misericórdia; 5- 13 de julho eles tiveram uma Visão quando iam andando para o local das aparições. As pessoas perceberam que eles mudaram a expressão facial, as crianças ficaram com uma expressão facial de assutados. As pessoas começaram a querer saber o que tinha ocorrido, mas só depois Lúcia revelou o que tinha acontecido com eles. A Senhora lhes mostrou o inferno. "Vimos como que um mar de fogo, e mergulhados nesse fogo os demónios [sic] e as almas como se fossem brasas transparentes com forma humana que flutuavam no incêndio levados pelas chamas que delas mesmas saíam entre gritos e gemidos de dor e desespero" (Lúcia). Existem cristãos que acreditam que não existe inferno de modo algum, outros acham que não é físico. 
Bem, depois dessa cena... vou dormir e rezar mais. Não quero saber dessa discussão se o inferno é quântico, físico, químico, fluído, geográfico, psíquico, imaginário, simbólico etc.. Meu lance é com o CÉU. Viva essas maravilhosas crianças e a quem as amparou: A Senhora do Rosário.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Governo de Flávio Dino rumo ao último biênio

Tive uma educação libertária, isso já é suficiente para não adorar ídolos, heróis e nem acreditar na doutrina da "vanguarda revolucionária", o que entraria em conflito direto com as percepções e entendimentos que tenho sobre o que é História. Logo não tenho vocação a discípulo, a servo, a escravo e nem a puxa-saco ou lacaio. Minha torcida é cívica e republicana pelo governo, pela governabilidade e governança que, cumprindo os parâmetros de governo da lei, responda às necessidades do povo e aos negócios públicos com responsabilidade, competência e publicidade.
Em democracia a crítica e a contestação são direitos do cidadãos não é uma dádiva do governante. A contestação e o reclame não precisa de um aceite prévio ou concessão do ocupante do poder. Assim, a esfera da democracia guarda tensões e um certo nível de dissenso. A discordância não precisa estar fundamentada ela é. Isso difere de acusações em atos e procedimentos que configurem como crimes. A crítica, longe de ser uma …

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…