Pular para o conteúdo principal

Processo de Impeachment vamos falar do óbvio

Vamos falar do óbvio... mas sempre necessário (necessário, somente o necessário..o extraordinário é demais).
Primeiro. Essa fala apaixonada, romantizada do petismo tardio e neófitos esquerdistas (estou escrevendo sobre isso) Tem algo de bem concreto defender seus cargos comissionados e os repasses de verbas para suas ONGs. Há tempo uma leva de senhores que estão no paraíso de gordos salários sem fazer nada. 
Segundo. Meu interesse é particular, mas não tem nada a ver com tirar vantagem de cargo comissionado ou tirar vantagem com dinheiro público, mas me defender para que o Estado não tire mais de mim e de milhões de brasileiros que estão nessa mesma situação. Explico. Dilma ficando... as reformas que afetam diretamente o trabalhador e o contribuinte não passarão no Congresso. É muito provável que a CPMF não volte. 
Terceiro. No geral nada de extraordinário acontecerá tendo origem no interior do Congresso. Ficando ou saindo Dilma. Péssima qualidade legislativa e parlamentar continuará até 2018. Salvo um acontecimento extraordinário vindo das ruas. 
Quarto. A quantidade de votos para barrar um impeachment é bem menor do que a maioria qualificada para aprovar diversas matérias importantes no Congresso. É só ver o que está na Constituição e no Regimento. Isso é forte indicador que continuarem em uma situação muito grave em termos de governabilidade, particularmente no tocante à economia, com os consequentes índice de desemprego, inflação, perda do poder aquisitivo etc. Ora, o impeachment não passando a oposição sabe como ir desgastando ainda mais esse governo até 2018, a questão é o que será do Brasil e quais respostas a massa silenciosa até o momento darão diante de um aprofundamento da crise econômica. Quais desdobramentos sociais e políticos podem tomar conta dos ânimos no cotidiano, nas ruas? A ordem social e política do país suportará essa situação por mais dois anos?
Quinto. A Lava Jato já está findando. Logo todas as práticas de mensalinhos e mensalões voltaram a pleno vapor. A questão é Permanecendo Dilma de quanto será o valor do reajuste do apoio? Dilma saindo, quanto custará as cofres da nação a composição da base do "novo" governo? 
Sexto. Se a Dilma sair pode ter algo de positivo? Eu acho que pode, inclusive para o PT. Vai ser uma forma de sair como vítima e reativar a militância para 2018, o país vai voltar a ter oposição em todos os níveis e espaço de disputa os sindicatos vão reclamar salários, o MST vai voltar a fazer a reforma agrária com as próprias mãos, vão se lembrar dos direitos dos índios, dos quilombolas, do meio ambiente e vão, pasmem, exigir transparência, combate à corrupção e reforma política (tudo que desprezaram em 13 anos de governo). Vantagens para o país... vai ser a retomada da estabilidade econômica ou ter seu início, mas certamente os remédios serão os mais amargos, mesmo os que não são essenciais para combater a crise entrarão no pacote. 
Texto já está muito longo... Enfim, Dilma ficando onde está vai a continuação do que aí está ou pior, pois para recompor uma maioria forte vão terminar de escancarar os cofres públicos para a outra banda dessa banda parlamentar sem nenhum pudor, sem qualquer princípio republicano e compromisso e venais da pior espécie. A presidente só vai ter alterado o cuidador do seu cativeiro, ela continuará refém e dependente do PMDB e todos os demais partidos que agora estão a favor do impeachment. 
O óbvio do óbvio o Parlamento será o mesmo e a Dilma também. É preciso que se diga... A lua de mel do eleitor maranhense com Flávio Dino terminou exato com esse debate sobre o impeachment. Eu continuo firmemente acreditando e torcendo pelo sucesso do nosso governador (opção particular e incondicional).
Eu torço é pelo Brasil (minha vida e dos meus). E que tudo mais que vá para o inferno!
No bolão apostei e estou mantenho a aposta que o impeachment NÃO passa (não estou defendendo a Dilma e nem o PT, lance de apostador mesmo). Waldir não é o único dessa espécie....

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Governo de Flávio Dino rumo ao último biênio

Tive uma educação libertária, isso já é suficiente para não adorar ídolos, heróis e nem acreditar na doutrina da "vanguarda revolucionária", o que entraria em conflito direto com as percepções e entendimentos que tenho sobre o que é História. Logo não tenho vocação a discípulo, a servo, a escravo e nem a puxa-saco ou lacaio. Minha torcida é cívica e republicana pelo governo, pela governabilidade e governança que, cumprindo os parâmetros de governo da lei, responda às necessidades do povo e aos negócios públicos com responsabilidade, competência e publicidade.
Em democracia a crítica e a contestação são direitos do cidadãos não é uma dádiva do governante. A contestação e o reclame não precisa de um aceite prévio ou concessão do ocupante do poder. Assim, a esfera da democracia guarda tensões e um certo nível de dissenso. A discordância não precisa estar fundamentada ela é. Isso difere de acusações em atos e procedimentos que configurem como crimes. A crítica, longe de ser uma …

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…