Pular para o conteúdo principal

Batman foi curado em Abu Ghraib



Fui ver Batman ontem... sabe... Literalmente mataram Batman. Curaram Batman e Gotham City virou Metropolis: clara e feliz, onde o mal sempre é uma coisa exógena. Batman sempre trouxe um movimento contrário ao modelo americano, ao heroísmo americano. Apresentava o lado escuro da lua. Ou o lado da face da lua que nunca ninguém ver. Tinha uma crítica na na sua negatividade: o mal residia lá dentro. Batman é um ser perturbado (com os tormentos de todos os mortais, na verdade), Gotham é doente. Isso ficou muito retratado no filme anterior, quando o Coringa se coloca como espelho para Batman. Nele a lógica apresentada nas histórias em quadrinho foi radicalizada e ampliada. O edifício de moralidade americana foi demolido. 

Nessa versão arrumaram uma "clínica" para Batman se curar e, aproveitando o processo de conversão, jogaram o mal para o exterior, para o Oriente, visando demonizar ainda mais os árabes. Aquela prisão "clínica" deve ser Abu Ghraib, onde os americanos torturaram tudo e a todos sem resp
eitar nenhum dos direitos humanos em nome da democracia. A legitimação do terror pelo terror. 

Gotham apareceu mais clara retratando um período de felicidade da cidade, de paz. Pacificada e unida por uma mentira. Nisso vi muita sinceridade, mesmo que involuntária. Tanto na mentira das armas de destruição em massa de Saddam como no perigo do Talibã para o Mundo.

Esse filme do Batman "curado" contém um nítido ataque aos documentários de Michael Moore, particularmente a "Capitalismo - uma história de amor." Através da fala do vilão de aparelho, montam um discurso nitidamente anti-movimento popular, feroz defesa da propriedade privada e do progresso individualista. 

O filme tem um grande volume de visão política americana conservadora. Em um trecho, sobram referências anti-movimento Occupy Wall Stree: pobres atacando ambientes de luxo, violência contra pessoas bem vestidas. Uma pessoa vestida de casaco de pele é arremessada na calçada. Bem caricatural! Tudo para mostrar o perigo do povo, de mobilização popular e da crítica ao capitalismo. Resumindo: só uma elite esclarecida e heroica pode comandar e reter todas as decisões. 

Isso serve para os brasileiros perceberem como os americanos dão importância para política. Eles estão em campanha pela sucessão presidencial. Lembram do filme Avatar? Pois é, não levou o Oscar.. porque aquele filme do desarmador de bomba no Iraque, "Guerra ao Terror", que era melhor para a auto-imagem dos americanos. Como justificar aquela guerra?

Completando, e aquele diálogo do Inspetor com o Robin, nitidamente justificando os meios pelos fins? Melhor dizendo, vale a pena a lama, pois através dela é possível manter causas maiores, isso é fiel a Gotham, mas é um texto que merece placa de ouro na porta de entrada da CIA. Enfim, o gostoso mesmo é a arte e as possibilidades que ela abre de leitura. Imaginem quantas outras coisas contrárias e diferentes foram vistas por outros olhos!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Governo de Flávio Dino rumo ao último biênio

Tive uma educação libertária, isso já é suficiente para não adorar ídolos, heróis e nem acreditar na doutrina da "vanguarda revolucionária", o que entraria em conflito direto com as percepções e entendimentos que tenho sobre o que é História. Logo não tenho vocação a discípulo, a servo, a escravo e nem a puxa-saco ou lacaio. Minha torcida é cívica e republicana pelo governo, pela governabilidade e governança que, cumprindo os parâmetros de governo da lei, responda às necessidades do povo e aos negócios públicos com responsabilidade, competência e publicidade.
Em democracia a crítica e a contestação são direitos do cidadãos não é uma dádiva do governante. A contestação e o reclame não precisa de um aceite prévio ou concessão do ocupante do poder. Assim, a esfera da democracia guarda tensões e um certo nível de dissenso. A discordância não precisa estar fundamentada ela é. Isso difere de acusações em atos e procedimentos que configurem como crimes. A crítica, longe de ser uma …

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…