Pular para o conteúdo principal

MARANHÃO RICO É O ÚLTIMO EM ARRECADAÇÃO POR HABITANTE

Foto: autor que não foi possível identificar



No ranking da arrecadação per capita, os 14 estados nas piores colocações são todos do Norte e do Nordeste*. O Maranhão é pior entre os piores. Isso deixa claro que a dependência do estado em relação à União é grande. 

Contrariando os dados, as propagandas do governo estadual mostram um Maranhão de grandes empreendimentos e que o sinal está verde para o crescimento. Se o Maranhão rico existe, por que isso não se reflete na arrecadação? Que tipo de crescimento é esse que não se reflete no tesouro? Não é crescimento econômico?

Primeiramente, é necessário dizer, no Maranhão não existe livre iniciativa, porque ninguém pode ter iniciativa livre. Por que grandes empresas não chegam aqui facilmente? Porque ninguém entra ou se instala aqui sem a permissão dos donos do feudo.

Os empresários da livre iniciativa, do capital produtivo não aceitam trocar concorrência e competência por pagamento de ágio e formar sociedade em “troca de favores”. Com essa permanente barreira, tudo fica sob as mesmas mãos e sob os mesmos artifícios. Monopolizam os poucos negócios existentes e pilham o Estado.

Daí é que emerge o brilhante paradoxo da ilha: mercado fraco (mais de 70% da população com baixo poder de consumo) e, por outro lado, hiper redes de empresas locais. De um lado está os baixíssimos salários predominando na população e, do outro lado, uma camada de mega afortunados extravagantes.

Como não é um capital produtivo, não são investimentos com riscos, não estão sob concorrência real, mas apenas transferindo o erário (público) para as contas particulares, não existe motivos para declarar, ou melhor, para arrecadar. Sendo o monopólio empresarial fruto de um monopólio do Estado por qual motivos iriam também pagar os impostos devidos?

Não é à toa que em São Luís apresentou a maior alta de preço no mercado imobiliário e, segundo os representantes do setor, “Em se fazendo tudo dá”. Paráfrase até mosdesta já que Pero Vaz de Caminha grafou: “Querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo”.

Comentários

  1. Eu não entendo bem certas coisas, sou apenas uma professora de Escola Pública, classe de alfabetização, mas pelo pouco que escuto os políticos se gabam que o Nordeste nunca cresceu tanto como "AGORA" nesse Governo do PT, aliás eles se elegeram pelo voto dos nordestinos, na maioria... Eu sou do Rio de Janeiro e estou muito triste com o descaso dos governantes por aqui, vá dar uma olhadinha no meu último post e verá se tenho razão OU NÃO, ADORARIA VER UM COMENTÁRIO SEU LÁ, A ESSE RESPEITO.
    Desculpe, mando-lhe um abraço, Mery.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

É uma satisfação contar com seu comentário! Obrigado!

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…

A CORRUPÇÃO NÃO É UMA COISA MENOR

A CORRUPÇÃO NÃO É UMA COISA MENOR A relativização aplicada aos casos de corrupção praticada por parte da “esquerda” (criminosos da “política’) é vergonhosa e irresponsável, mas não deixa ter coerência interna com a doutrina política que abraçam (ao credo religioso que professam). Esse modelo de esquerda existe enquanto séquito e seu ethos é de natureza similar aos ethos encontradas em seitas religiosas. Seguem a apreciação dos fatos e do contexto sob a ferrenha força doutrinária (que diz o que fazer) e sustentada pela fé cega (eles creem por creem, sem se permitir pensar sobre os rumos da sua fé e os efeitos dela sobre o contexto). Essa parte é, sem exagero nenhum, composta por fanáticos. O fanatismo é tão exacerbado que buscam escamotear fatos, em que pese as diferenças e possibilidades interpretativas, são passíveis de verificação por diversos meios. Mas, como fanáticos de tipo de seita, estão mantendo a coerência, pois não só isso pode ser racionalizado a partir da doutrina mãe (marx…