Pular para o conteúdo principal

FATOS PONTUADOS


PROMESSA PÚBLICA É DÍVIDA COM O PÚBLICO – Senhora Governadora Roseana prometeu construir 72 hospitais até o final desse ano. Ninguém vai comprar legalmente isso? Trata-se de uma promessa pública! Quando ela disse que ia construir até o final do ano, estava e devia estar falando enquanto Governadora. Pois um candidato não pode construir. Como o mandato só começa em janeiro, não poderia ser promessa de campanha da candidata, mas da governadora. É ato impossível um candidato realizar obras públicas antes das eleições e antes de assumir o cargo, que só ocorrerá no ano seguinte. Portanto, foi a Governadora que fez uma promessa pública e deve prestar conta publicamente da realização ou não de tal promessa. O melhor Governo da vida dela (mas não vai ser de nossas vidas).

NENHUM CENTAVO – Lula onipotente disse que não cortará nenhum centavo do PAC, ora o PAC já é um imenso corte, mais da metade está virando obras inacabadas, bem reprise do que ocorreu no final da Ditadura Militar. O outro detalhe é que ele ainda não percebeu que acabou, que fora da Presidência não vai ter mais como exercer as funções de Presidente. É preciso acordar para a forma impessoal do poder da Presidência. Em final de mandato, todos encontram um motivo para não obedecer. Presidente, o mandato acabou!

A MORTE DA ILHA REBELDE – Castelo como prefeito de São Luís soa com vingança das forças reacionárias. Logo ele que oprimiu as frações que representavam a rebeldia da ILHA. Castelo prefeito de São Luís simboliza o enterro da ilha literária, politizada e crítica. É a própria feiúra que passou a imperar na cidade, que perdeu sua face, sitiada por um mar de gente destroçada pela miséria! Eis a massa sobre a qual foi moldada a morte da Ilha Política, Atenas Brasileira. O cartão postal fúnebre é a Biblioteca Benedito Leite fechada e em ruína.

São Luís carece de uma intervenção urbanística maciça, precisa criar novos espaços de circulação, lazer e vivência pública. A cidade precisa de novos marcos arquitetônicos e culturais, o que não implica abandono do que existe, pelo contrário, fortalecê-los em um outro patamar. Castelo é o estereótipo do político tradicional mandão, cheio de falatório e performance exótica, que desdenha do conhecimento e da razão. Quem contribuiu para matar a Ilha Rebelde? Jackson Lago! Ele foi o que mais barganhou com essa ideologia e também foi o que deu o golpe mais mortal sobre ela.

Jackson ajudou decisivamente Castelo a se eleger prefeito de São Luís. Com isso, não só absolveu o maior ícone da anti-rebeldia, mas ajudou decisivamente o sarneísmo a consolidar o ideário do homogêneo e do indistinto. Isto é, todos são iguais. O que resulta na seguinte questão prática: para que recusar os Sarney se todos são iguais?

Castelo, para completar a obra de matar a Ilha Rebelde, agiu de forma decisiva para Roseana ser bem votada em São Luís e evitar o segundo turno na eleição de 2010. Garantindo a vitória para Roseana. Com isso hegemonizou o modelo do atraso, anti-progressiSta, anti-esquerda, anti-republicano e anti-democrático. Tudo que a Ilha Rebelde sempre detestou. Castelo/Roseana vão fortalecer o clientelismo, o patrimonialismo, o nepotismo, o filhotismo, o clã familiar e a anti-meritocracia.

OS MORROS E OS BOBOS – Passado o calor do entusiasmo, da esperança de ver os governantes agirem em prol da segurança e do bem estar coletivo, vem o frio crítico racional. Cadê aquelas levas de marginais armados que foram filmados fugindo ou andando em fila indiana pelas favelas antes do “cerco”?

Olhando em detalhes e através das reportagens recentes, nota-se que é preciso investigar o “cerco”. Saber como tantos bandidos desapareceram e quase ninguém foi preso ou morto. Já são visíveis as falhas, que nada mais foram que facilitações cúmplices com o crime. Colocar as Forças Armadas dentro de uma armação dessa precisa ser repensado, ou colocar as Forças Aramadas á frente e no controle, pois senão vai servir de tola diante o esquemático sistema infiltrado na polícia carioca que tem ligações com o crime.

“O cerco” não foi um cerco diversas rotas e vias de fuga foram deixadas sem vigilância e controle, parte de mata e até pedreiras. Galerias ficaram livres para a circulação dos bandidos e inúmeros moradores já denunciaram que propina.

Vejamos: como o serviço de inteligência não sabia que lá houve obras do PAC, que se tratava de galerias, os acessos das mesmas e suas dimensões? Por que as pedreiras e tantos outros pontos não vigiados? Por que os helicópteros não continuaram filmando a rota e deslocamento dos bandidos? Por não se efetivou logo a ação de subida e durante o dia? Quem ordenou o adiamento? A noite foi usada para facilitar as fugas? Cadê as correntes de ouro que os bandidos usavam? Cadê a grana da comercialização da droga? Cadê a droga? Só tinha maconha lá? Por que não estão utilizando cães farejadores? O Governo fez acordo com os bandidos? Quem inventou que tem anunciar para o bandido a hora que vai ocorrer o ataque e o equipamento que vai ser usado? Nós não merecemos o papel de bobo em período natalino.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…

A CORRUPÇÃO NÃO É UMA COISA MENOR

A CORRUPÇÃO NÃO É UMA COISA MENOR A relativização aplicada aos casos de corrupção praticada por parte da “esquerda” (criminosos da “política’) é vergonhosa e irresponsável, mas não deixa ter coerência interna com a doutrina política que abraçam (ao credo religioso que professam). Esse modelo de esquerda existe enquanto séquito e seu ethos é de natureza similar aos ethos encontradas em seitas religiosas. Seguem a apreciação dos fatos e do contexto sob a ferrenha força doutrinária (que diz o que fazer) e sustentada pela fé cega (eles creem por creem, sem se permitir pensar sobre os rumos da sua fé e os efeitos dela sobre o contexto). Essa parte é, sem exagero nenhum, composta por fanáticos. O fanatismo é tão exacerbado que buscam escamotear fatos, em que pese as diferenças e possibilidades interpretativas, são passíveis de verificação por diversos meios. Mas, como fanáticos de tipo de seita, estão mantendo a coerência, pois não só isso pode ser racionalizado a partir da doutrina mãe (marx…