Pular para o conteúdo principal

UEMA: CADÊ O RESULTADO? OPOSIÇÃO OU GOLPISMO?


Primeiramente quero deixar claro que sou a favor da apuração de toda e qualquer denúncia, independente do lado que a formule. No entanto, é preciso apresentar as provas, caso contrário, será um cúmplice.

Quando votei fiz uma opção não uma entrega de minha consciência, nem da minha crítica e liberdade.

A guerra judicial já estava preparada e, para nosso espanto, a dita oposição de esquerda da UEMA apareceu alinhada com o que há de mais reacionário e de extrema direita dentro da UEMA, não só isso, está mancomunada com o sarneísmo mais fervoroso e devoto. A prova cabal foi o ato de assinar a LIMINAR CONJUNTAMENTE COM OS SARNEÍSTAS. Desta forma, essa suposta oposição de esquerda se coloca no mesmo campo do que há de mais ferveroso da direita  na UEMA.

A oposição supostamente de esquerda está endossando e alavancando o velho projeto reacionário de tirar das Universidades sua autonomia. O que essa oposição está ajudando a construir é UMA INTERVENÇÃO.

Os velhacos reacionários sonham ganharem o posto de reitor como interventores. O propósito é estender ao máximo essa luta judicial até o Supremo. Tudo planejado e orquestrado no bom modelo da direitona golpista. Carlos Lacerda e os milicos não foram tão sistemáticos.

Querer disputar e querer o lugar que ocupa o atual reitor é normal do jogo democrático. Assim como é legítima a discordância e ser oposição, em democracia isso não é uma concessão, é direito. No entanto, o que se ver é um jogo irresponsável e inconseqüente.
Por que a oposição quer retirar da comunidade acadêmica o direito de saber o resultado da eleição? Por que providenciaram para que a comunidade não soubesse o resultado de sua vontade? A resposta é: QUEREM ESCONDER QUE FORAM DERROTADOS!

Os votos foram apurados e tal processo foi feito sob os olhos de centenas de pessoas que testemunharam apuração. Quem viu sabe para quem o NÃO foi dado por alunos, professores e funcionários.
Os principais atores dessa tentativa golpista ficaram em qual colocação?

Nunca um resultado de uma eleição foi negado aos eleitores. Isso é um absurdo e nós que votamos e compomos a comunidade universitária queremos conhecer o resultado. É um direito nosso?
Se existem irregularidades que as mesmas sejam apuradas e tomas as devidas providências, mas o resultado deve ter publicidade.

O outro lado dessa história é a omissão gritante da entidade representativa dos professores que, até o presente momento, não se pronunciou e nem convocou seus associados para discutir e analisar a questão. Não podemos ficar a reboque. A UEMA não é constituída só de servidores. O sindicato dos servidores não pode ficar ditando unilateralmente a vida da UEMA.

O que a UEMA precisa é de eleição com voto de igual peso, com transparência e com respeito à vontade da maioria. Isso deve ser efetivado dentro do campo político da própria UEMA e mantendo a autonomia da Universidade.
A autonomia universitária é um legado da resistência democrática contra a ditadura e não vamos aceitar um retrocesso.

Fazer oposição é legítimo, mas a tomada do poder tem que ser pelo voto, respeitando o veredito da vontade da comunidade, sem isso é autoritarismo fascista!

Não vamos aceitar e nos calar diante de desatinos de eminências pardas, principalmente aquelas que livre e espontânea abandonaram os quadros da UEMA, mas que agora agem nos bastidores querendo nos impor seus delírios autoritários por intermédio de seus avatares!

Comentários

  1. Parabéns comandante pelo Blogue. Assim, estás contribuído com a democratizaçao da comunicação do Maranhão.
    Estou te acompanhando.
    Visite-nos no blogue do Eri: www.erisantoscastro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Caro Eri,
    estou entre os seguidores do seu blog e o link do mesno está na primeira página do meu blog.
    grato pela atenção!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

É uma satisfação contar com seu comentário! Obrigado!

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…

A CORRUPÇÃO NÃO É UMA COISA MENOR

A CORRUPÇÃO NÃO É UMA COISA MENOR A relativização aplicada aos casos de corrupção praticada por parte da “esquerda” (criminosos da “política’) é vergonhosa e irresponsável, mas não deixa ter coerência interna com a doutrina política que abraçam (ao credo religioso que professam). Esse modelo de esquerda existe enquanto séquito e seu ethos é de natureza similar aos ethos encontradas em seitas religiosas. Seguem a apreciação dos fatos e do contexto sob a ferrenha força doutrinária (que diz o que fazer) e sustentada pela fé cega (eles creem por creem, sem se permitir pensar sobre os rumos da sua fé e os efeitos dela sobre o contexto). Essa parte é, sem exagero nenhum, composta por fanáticos. O fanatismo é tão exacerbado que buscam escamotear fatos, em que pese as diferenças e possibilidades interpretativas, são passíveis de verificação por diversos meios. Mas, como fanáticos de tipo de seita, estão mantendo a coerência, pois não só isso pode ser racionalizado a partir da doutrina mãe (marx…