Pular para o conteúdo principal

GREVE DA UEMA: GOVERNO QUER VOLTA AO TRABALHO


NA NEGOCIAÇÃO ENTRE GOVERNO DO ESTADO, DIREÇÃO DA UEMA E COMANDO DE GREVE NÃO SE FIZERAM PRESENTES OS DEPUTADOS PROFESSORES DA UEMA E NEM O SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO, QUE TAMBÉM É PROFESSOR DA UEMA. ISTO É, PROFESSORES DA UEMA, PRESENTES NO GOVERNO ROSEANA SARNEY, NÃO SE EMPENHARAM DIRETAMENTE EM MEDIAR A QUESTÃO.

EIS O QUE QUER E O QUE PENSA O GOVERNO DO ESTADO SOBRE A GREVE DOS SERVIDORES DA UEMA EM PROL DO PCCS:

"GOVERNO DO MARANHÃO
SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL
Fonte: Seaps Texto: Érika Rosa   12/05/2010

Governo oficializa aos grevistas da Uema pedido de retorno imediato ao trabalho

Às vésperas de completar dois meses, a greve dos servidores técnico-administrativos da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), poderá ser encerrada nos próximos dias. Em uma reunião realizada, nesta quarta-feira (12), no prédio da Faculdade de Arquitetura da Uema, na Rua da Estrela, o secretário de Estado da Administração e Previdência Social (Seaps), José Henrique Campos Filho, comunicou aos dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores da Uema (Sintuema) que o Governo do Estado não negociará mais com os grevistas, caso a categoria não retorne imediatamente ao trabalho e libere os portões do campus da Universidade para o início do ano letivo de 2010.

“Esta é uma posição do governo, que sempre teve boa vontade para negociar nestes quase dois meses de paralisação. Mantemos a decisão de elevar as gratificações por condição especial de trabalho dos técnico-administrativos, porém a negociação de outros pontos, somente com o imediato fim da greve”, afirmou o secretário José Henrique Campos Filho, que leu aos presentes um comunicado dirigido ao comando de greve, no qual informa o posicionamento adotado pelo Governo do Estado em comum acordo com a Reitoria da Uema.

A Seaps oficializou, nesta quarta-feira (12), este posicionamento por meio de ofício encaminhado à administração da Uema, para que fosse repassado à direção do Sintuema. “Vamos aguardar a oficialização do fim da greve para voltarmos a negociar outros pontos do Plano de Cargos, Carreiras e Salários”, acrescentou o secretário de Administração, se dirigindo ao presidente do Sintuema, Valber Tomé Gomes, e ao presidente eleito Miguel Benedito Santos. Ambos se comprometeram a levar a posição do Governo à apreciação da categoria nas próximas horas.

O reitor da Uema, José Augusto de Oliveira, que participou da reunião, acompanhado do vice-reitor Gustavo Pereira da Costa, e pró-reitores da instituição, afirmou aos representantes do Sintuema que é chegada a hora de encerrar a greve. “Nossa preocupação maior é com os alunos e eles querem voltar às aulas, querem que a Uema volte à normalidade. Não se vê qualquer manifestação de iniciativa dos alunos apoiando essa greve”, pontuou o reitor José Augusto Oliveira.

O auditor fiscal, Akio Valente Wakyiama, que negociou por várias vezes com dirigentes sindicais durante o mês de abril, quando ficou como secretário interino de Administração e Previdência Social, ressaltou aos membros do comando de greve que eles obtiveram vitórias importantes nas negociações. “O governo cedeu, vocês ganharam e agora tem de haver uma compreensão da categoria na decisão pelo fim da greve”, afirmou Akio Wakyiama.

No comunicado lido ao comando de greve, o secretário José Henrique Campos Filho, reafirmou o posicionamento do Comitê Orçamentário, Financeiro e de Política Salarial que indeferiu o processo do Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos servidores da Uema; manteve a decisão de elevar as gratificações por condição especial de trabalho para 100% e de serviços extraordinários para 70%, e por fim, solicitou ao Sintuema o retorno imediato ao trabalho, possibilitando o pleno funcionamento da Uema.

Também participaram da reunião a representante da Associação dos Servidores da Uema (Assuema), Maria do Socorro Carvalho, e as secretárias-adjuntas de Gestão de Pessoas, Maria das Graças Jansen, e de Seguridade Social, Graça Cutrim, ambas da Seaps."







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…

A CORRUPÇÃO NÃO É UMA COISA MENOR

A CORRUPÇÃO NÃO É UMA COISA MENOR A relativização aplicada aos casos de corrupção praticada por parte da “esquerda” (criminosos da “política’) é vergonhosa e irresponsável, mas não deixa ter coerência interna com a doutrina política que abraçam (ao credo religioso que professam). Esse modelo de esquerda existe enquanto séquito e seu ethos é de natureza similar aos ethos encontradas em seitas religiosas. Seguem a apreciação dos fatos e do contexto sob a ferrenha força doutrinária (que diz o que fazer) e sustentada pela fé cega (eles creem por creem, sem se permitir pensar sobre os rumos da sua fé e os efeitos dela sobre o contexto). Essa parte é, sem exagero nenhum, composta por fanáticos. O fanatismo é tão exacerbado que buscam escamotear fatos, em que pese as diferenças e possibilidades interpretativas, são passíveis de verificação por diversos meios. Mas, como fanáticos de tipo de seita, estão mantendo a coerência, pois não só isso pode ser racionalizado a partir da doutrina mãe (marx…