Pular para o conteúdo principal

Os relativamente calados, os absolutamente silenciosos e os berrantes



Causa estranheza ver que na frente do pelotão de defesa/ataque do senador José Sarney não tenha nenhum senador maranhense. Será que a manifestação dos atuais senadores maranhenses não soma a seu favor? Até agora não ouvi ninguém usar a tribuna nem para fazer algumas considerações favoráveis, destacar pontos omitidos pelos opositores etc. Não digo uma defesa apaixonada ou furiosa, mas uma minimamente de solidariedade e que exemplificasse que os demais senadores não são tão diferentes dele. Que silêncio é esse?
Esse silêncio também é percebido na Câmara onde também habitam tantos outros aliados maranhenses. Por que os deputados federais que sempre buscaram apoio junto à família Sarney não estão se pronunciando para dirimir dúvidas ou mostrar pontos controversos sobre as acusações que o senador vem recebendo? "Que é que é isso", companheiro?
Por outro lado, na Câmara, o deputado Domingos Dutra, em sintonia com a oposição a Sarney no senado, soltou sua voz, como sempre fez no período eleitoral, e o atacou sem recorrer a uma linguagem mais técnica, sem se preocupar em fundamentar seus argumentos, sistematicamente, em princípios de ordem republicana ou democrática, ou do ponto de vista legal... preferiu migrar para os fundamentos da biologia, melhor dizendo, para a fisiologia animal. Comparou o presidente do senado ao camaleão.
Mais uma vez a oposição maranhense ao senador Sarney demonstra não saber explorar as oportunidades em prol dos seus objetivos. Ao comparar o senador Sarney a um camaleão aumentou a mística sobre o mito de sua invencibilidade e de sua capacidade de sempre se safar.
Por que? Porque: “Na simbologia africana, o camaleão é um animal sagrado, visto como o criador dos primeiros homens. Nunca é morto, e quando é encontrado no caminho, tiram-no com precaução, por medo do trovão e do relâmpago.”
Entre os ioruba é contado que Olorum enviou o camaleão em seu lugar para participar de um desafio proposto por Olocum. O resultado foi um empate. O camaleão também aparece ligado ao mito da criação, um mensageiro (ligação entre o humano e sagrado) etc.
Infelizmente o deputado foi plantar seus pés numa historiografia que ignora as culturas africanas. Ruim para o deputado que é um afro-descendente, legítimo filho de uma comunidade quilombola.
Diante do status quo que busca garantir sua sobrevivência na passionalidade, na conveniência, o melhor é insurgir-se com base na racionalidade crítica e virtude cívica.
Enquanto isso... Serra, nos marcos dos bandeirantes, anima suas chances. Veja aqui:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/pensata/sergiomalbergier/ult10011u605791.shtml

Comentários

  1. Grande e arguto Chico,
    É isso aí. A "oposição" patina e o senador deita e rola . Aliás, o PT é oposição aqui? Não faz parte do governo que, pelo menos na mídia, diz que o Maranhão voltou ao trabalho?
    Abraços

    ResponderExcluir

Postar um comentário

É uma satisfação contar com seu comentário! Obrigado!

Postagens mais visitadas deste blog

AÇÃO DIRETA E LEGÍTIMA DEFESA PACÍFICA

Green Politics must become the Politics of the Regions – all the Regions, from the celestial to the subterranean. Let the next Gathering of the Greens conduct all its business in poetry. This will foreshadow the day when America will be Green. Even better, the day when for a small fee we do an international name exchange and America becomes a large frozen island, while Green Land extends from sea to shining sea. The day when Green Politics rules. The day when the President pantomimes the Inaugural Address and sings the State of the Union in falsetto. The day when the Supreme Court sits naked in powdered wigs and hands down rulings in Pig Latin. The day when the Congress throws a multi-party and dances all the Laws out of existence.(Trecho do The Surre(gion)alist Manifesto , John P. Clark)
É preciso ultrapassar as formas mórbidas e dilacerantes da política atual. Não adianta só as contestações, enquanto persistir seus mecanismos genocidas e desumanizantes é necessário agir diretamente s…

Governo de Flávio Dino rumo ao último biênio

Tive uma educação libertária, isso já é suficiente para não adorar ídolos, heróis e nem acreditar na doutrina da "vanguarda revolucionária", o que entraria em conflito direto com as percepções e entendimentos que tenho sobre o que é História. Logo não tenho vocação a discípulo, a servo, a escravo e nem a puxa-saco ou lacaio. Minha torcida é cívica e republicana pelo governo, pela governabilidade e governança que, cumprindo os parâmetros de governo da lei, responda às necessidades do povo e aos negócios públicos com responsabilidade, competência e publicidade.
Em democracia a crítica e a contestação são direitos do cidadãos não é uma dádiva do governante. A contestação e o reclame não precisa de um aceite prévio ou concessão do ocupante do poder. Assim, a esfera da democracia guarda tensões e um certo nível de dissenso. A discordância não precisa estar fundamentada ela é. Isso difere de acusações em atos e procedimentos que configurem como crimes. A crítica, longe de ser uma …

Ação Penal 470 - Filhos do Brasil

                                         Por  Washington Ribeiro Viégas Netto*

"Quando o homem inventou a roda, logo Deus inventou o freio. Um dia, um feio inventou a moda, e toda a roda amou o feio". Zeca Baleiro.

Tenho acompanhado com especial atenção o julgamento do mensalão pela nossa mais alta corte de justiça, o STF. Penso que o resultado ali proclamado nos dará uma medida atual do quanto já nos distanciamos da pecha “república de bananas”; forma de governo que ainda persiste em países destas latitudes. No decorrer de todos esses anos em que tramita o processo, tem sido uma rara oportunidade de o Brasil reafirmar a força e solidez de suas instituições, soberanamente constituídas, quando confrontadas com um, ao que tudo parece, projeto de poder que, por meio de um conhecido método de aparelhamento estatal, tentou um processo de clivagem dessas mesmas instituições. Porém, antes mesmo de iniciado o julgamento, acredito que o saldo é favorável ao Brasil. O Supremo é composto d…